Higiene e Limpeza Urbana

Os resíduos urbanos constituem, cada vez mais, um problema ambiental. O desenvolvimento e a produção em massa melhoraram a qualidade de vida de todos nós mas, simultaneamente, trouxeram o consumo excessivo e o consequente desperdício. A quantidade de resíduos produzida é muito grande, e para além de conterem elementos muito agressivos e perigosos para o meio natural constituem graves problemas para a saúde pública se não forem corretamente tratados e encaminhados.


A limpeza urbana começa por ser uma responsabilidade de todos os cidadãos.


Os resíduos deverão ser colocados nos contentores certos em vez de serem deixados na via pública, acessíveis a cães e gatos que acabam por espalhá-los nas ruas. É fundamental mantermos os locais públicos limpos, pois só assim evitaremos problemas relacionados com o mau cheiro e com a proliferação de doenças transmitidas por vetores como ratos, baratas, moscas, etc.
A prevenção, o equilíbrio, a participação e recuperação, bem como a responsabilização, são princípios a seguir no âmbito da higiene e limpeza públicas, visando um município mais limpo, contribuindo assim para um mundo mais saudável.
Proporcionar uma maior limpeza ao concelho de Olhão, tem sido desde sempre uma meta presente na definição estratégica dos serviços públicos prestados à população.Neste âmbito, a Ambiolhão possui um conjunto variado de serviços na área da Higiene e Limpeza Urbana, nomeadamente:


Limpeza Manual das Ruas, Recolha e Manutenção de Papeleiras e contentores de Dejectos Caninos: serviço assegurado diariamente por uma equipa de 40 pessoas que abrange todo o concelho (incluindo Ilha da Armona). 
Lavagem de Ruas, Passeios e de Contentores de Lixo: pode ser manual ou recorrendo a equipamento mecânico específico.
Limpeza das Sarjetas e Sumidouros: serviço assegurado pela Ambiolhão que realiza, periodicamente limpezas preventivas e desentupimentos superficiais.
Desinfestações: serviço assegurado por uma empresa licenciada para o efeito que, de acordo com uma calendarização pré-definida, efetua campanhas de desbaratização, desratização, desinsetização e de combate a outras pragas, em todos os espaços públicos do concelho e nas escolas oficiais.
Limpeza de Terrenos e Ribeiras: periodicamente, é efetuada a limpeza de todas as ribeiras e linhas de água, dentro do perímetro urbano do concelho, de forma a garantir o normal escoamento das águas da chuva, evitando-se deste modo inundações de áreas urbanas.


No âmbito da Higiene e Limpeza Urbana, a Ambiolhão pretende chamar a atenção para a problemática dos dejetos caninos no espaço público. Esta iniciativa impõe o envolvimento da empresa municipal (através da disponibilização dos dispensadores de sacos) e dos munícipes (através da remoção imediata dos dejetos deixados pelos seus animais na via pública).


Este é um problema não só ambiental mas também de saúde pública, uma vez que as fezes dos cães alojam vírus, batérias e parasitas perigosos para a saúde humana.


Como actuar?
Retire o saco do dispensador ou traga consigo um saco de casa sempre que sair com o seu animal de estimação.
Introduza a mão no saco como se fosse uma luva.
Apanhe os dejetos.
Vire o saco de maneira a que os dejetos fiquem no seu interior.
Dê um nó na extremidade do saco e coloque-o no dispensador, numa papeleira ou contentor de lixo.

 

 

Desinfestações


A Ambiolhão promove periodicamente, diversas ações de desinfestação para controlo de pragas urbanas. Estas incidem essencialmente, desbaratização, desratização e desinsetização em áreas de domínio público, edifícios e equipamentos municipais, levadas a cabo por uma empresa devidamente licenciada e credenciada para o efeito.
Os biocidas utilizados são empregues por técnicos especializados, aprovados pelos organismos oficiais e aplicados segundo técnicas baseadas nas determinações da Organização Mundial de Saúde.

 

 

Breve Descrição das Principais Pragas

 

Baratas - As baratas podem ocasionar vários problemas ao atuarem como vetores de vírus, fungos e batérias ou vermes. Também podem inutilizar alimentos deixando um odor repugnante, roer e sujar roupas e livros para além do impacto psicológico causando sensação de medo e asco.
Gostam de lugares quentes e húmidos, podendo ser encontradas no interior das edificações humanas (principalmente na cozinha), e na rede de esgoto. Em geral apresentam hábito nocturno (principalmente as de ambiente urbano), sendo que neste período procuram por alimento e parceiros(as) para o acasalamento.

 

 

 

 

Ratos / Ratazanas - São os mais comum dos roedores urbanos. Têm hábitos noturnos, sedentários e agressivos. Normalmente vivem nas áreas externas das residências, em ninhos junto as fundações dos prédios. As galerias da rede de esgotos ou de escoamento pluvial, também, servem como abrigo. Vivem, também, em depósitos de lixo e em jardins. No interior das residências, abrigam-se entre espaços mortos ou cavidades nas paredes e pisos, como também em armários, não sendo comum neste último caso. Além de causar grandes prejuízos económicos, os roedores funcionam como transmissores de vírus, batérias, protozoários e vermes. A transmissão desses organismos ocorre através do contato direto ou indireto do homem com as fezes e urina destes animais. Das doenças transmitidas pelos roedores, destacam-se a Leptospirose, Salmonelose e Peste Bubónica.

 

 

 

Formigas - A maioria são de pequeno tamanho e fazem os seus ninhos atrás de azulejos, dentro de vasos de flores, no interior de aparelhos eletrónicos, etc. Dentro de casa as formigas passam pelo lixo, andam em cima de alimentos e podem ser transmissoras de batérias. Também poderão picar e provocar alergias. Para minimizar a sua presença no interior da habitação, deve-se manter o ambiente o mais limpo possível e consertar falhas e fendas nas estruturas e azulejos. Poderá também utilizar saquinhos com cravos-da-índia ou folhas de louro dentro dos armários (elas odeiam o cheiro).

 

 

 

 

Mosquitos - estes insetos não são só desagradáveis pela picadas que infligem, causando ardor, comichão e alergias como são muito mais importantes porque representam um verdadeiro problema de saúde pública devida à capacidade que possuem na transmissão de doenças infecciosas gravíssimas como o paludismo, febre amarela, dengue, malária, encefalite ou doença do Vírus-do-Nilo, etc. São igualmente importantes na transmissão de doenças aos animais domésticos como a Leishmaniose que também pode ser transmitida ao ser humano.
Os mosquitos são animais de hábitos nocturnos e crepusculares e tem preferência por locais húmidos e sombrios. Possuem um elevado potencial reprodutivo e a melhor maneira de ajudar ao seu controlo é eliminando as larvas.
Neste sentido, e paralelamente às campanhas oficiais de desinfestação levadas a cabo em toda a área do nosso Ccncelho e baseadas na Luta Biológica com Bacillus thuringensis, todos podemos contribuir evitando a acumulação e estagnação de águas (mesmos em pequenas quantidades), especialmente nos meses mais quentes (veja algumas medidas que pode adotar).

 

 

Doença do Vírus-do-Nilo - doença potencialmente séria que afecta o sistema nervoso central, causando (nos casos mais graves) febres altas, dor de cabeça, desorientação, paralisia e mesmo o coma e morte. Na maioria dos casos os sintomas são mais leves como dor de cabeça, náuseas e erupções cutâneas ou mesmo imperceptíveis. A propagação é feita através de mosquitos que foram infetados ao picar pássaros com a doença. 

 

 

Moscas - Embora estes sejam insetos importantes no consumo e eliminação de cadáveres de animais, pelo facto de viverem no lixo e em sítios onde existe matéria fecal e animais mortos, são potencialmente perigosos pela transmissão de doenças como a febre tifóide, doença do sono, etc.

 

 

 

 

 

Pulgas - São insetos sem asas sendo responsáveis pela transmissão de doenças em humanos e seus animais de estimação. No chão das nossas casa as larvas movimentam-se entre as fibras das carpetes, nos utensilios e móveis domésticos e camas dos animais. A pulga alimenta-se do sangue do seu hospedeiro e é nessa altura em que transmite as doenças. Uma boa higiene das habitações e dos animais é factor importantíssimo para mitigar o desenvolvimento destes parasitas. A Dermatite Alérgica por Pulgas (DAP) é a doença dermatológica veterinária mais comum do mundo e é provocada pela picada da pulga.
O objetivo do controle destes insetos deverá passar pela eliminação de pulgas adultas em todos os animais da casa e de pulgas imaturas ou jovens no meio circundante.

 

 

 

Térmitas - As térmitas são um grupo de insetos que se alimentam de Celulose e seus derivados graças à ação de microorganismos que vivem em simbiose no seu aparelho digestivo. As térmitas subterrâneas podem atacar qualquer edifício sem que este esteja deteriorado. Existem alguns fatores que poderão potenciar o seu aparecimento e ataques nas nossa casas:
As madeiras/lenha existentes nas imediações das casas são fatores de atração para uma praga de térmitas;
Um jardim mal conservado pode ser um fator determinante, especialmente se tiver árvores e plantas mortas, troncos, etc.;
Deficiente ventilação dentro das habitações (casas-de-banho e cozinas) promove um habitat ideal para a praga e aumenta o risco de degradação das madeiras e ataque de fungos.
A caraterística mais perigosa deste inseto é que é capaz de atravessar todo o tipo de material (ex: cimento e asfalto) para conseguir alcançar o seu alimento.

 

Afídeos - São também chamados de pulgões ou piolhos-das-plantas. São insetos muito pequenos que se alimentam da seiva das plantas. Estes são considerados das pragas mais importantes para os agricultores e jardineiros, não só porque colonizam em grande número caules, folhas, gemas, flores, frutos e raízes, diminuindo o rendimento das plantas ao retirarem-lhes a seiva, como propiciam a transmissão de vírus e o aparecimento de fungos (devido à melada que excretam). Tais infeções poderão levar à morte da planta.

 

 

 

 

Processionária - Trata-se de um inseto desfolhador dos pinheiros e cedros.
Os ataques variam de intensidade de acordo com os seus níveis populacionais, fortemente influenciados pelas condições climáticas. Em termos de produção lenhosa, verifica-se uma redução do crescimento das árvores no período em que ficam desfolhadas. No entanto, à excepão de ataques sucessivos em árvores jovens, estas em geral recuperam e não morrem. Em termos de saúde pública, a processionária pode representar, no entanto, um problema sério, sobretudo em anos de níveis populacionais elevados e junto a locais habitados e escolas. A partir do 3º estádio do seu desenvolvimento, o inseto possui pêlos urticantes que causam alergias na pele, globo ocular e aparelho respiratório. Estas alergias são sempre muito desagradáveis e podem ter consequências graves, dependendo da sensibilidade do indivíduo atingido.